Dica de livro | Transformando suor em ouro

Biblioteca

Se você procura um livro para renovar o ânimo você precisar ler Transformando suor em ouro – escrito pelo ex-jogador e técnico da seleção brasileira de vôlei masculino Bernadinho.

Bernadinho conta sua trajetória de vitórias e derrotas desde os tempos de jogador, passando pela fase de técnico da seleção feminina, até o consagrado posto que o transformou como uma das grandes referências de líderes dentro e fora das quadras.

Cheio de relatos emocionantes de situações e jogos decisivos para a seleção, a narrativa se dá de tal forma que é impossível não se emocionar. Aquela típica leitura que te prende do começo ao fim. Em meio ao texto, várias lições de liderança, dedicação, trabalho em equipe e determinação.

A cada página frases inspiradoras e que nos fazem pensar nas nossas atitudes diante os desafios que encontramos, como lidamos com nossas vitórias e quão determinados nós somos.

  • Sobre disciplina: “Há uma frase de Tillman (jogador de futebol americano) que nos leva à conclusão de que ele tinha o famoso brilho no olhar: ‘Disciplina é a ponte que liga nossos sonhos às nossas realizações.’ Todos nós temos objetivos e queremos conquistá-los, mas é importante que estejamos dispostos a construir essa ponte.
  • Sobre as armadilhas do sucesso: “A traiçoeira armadilha do sucesso é um alçapão em que costumamos cair quando, embriagados por eventuais êxitos, passamos a nos achar melhores que os outros, quando não invencíveis, e nos afastamos da essência do sucesso: a preparação
  • Sobre a verdadeira liderança: “Seria inútil tentar obrigá-las (jogadoras do time de Perugia – Itália). Era preciso que elas adotassem o objetivo de dar o máximo de si mesmas. E acreditassem sinceramente que tudo aquilo era mesmo o melhor a fazer. Sem comprometimento e cumplicidade, elas continuariam em último lugar.
  • Sobre as derrotas: “É evidente que a derrota me entristece. Nisso, sou igual a todo mundo. A diferença é que perder só me frustra e me deixa inconformado quando tenho a convicção de não termos feito o nosso melhor.
  • Sobre a determinação de se aprimorar sempre: “… por que temos a pretensão de imaginar que temos mais vontade de vencer que nossos adversários ou concorrentes? Eles querem tanto quanto nós. Provavelmente a diferença, no fim, será proporcional ao empenho no processo de preparação.

O final do livro é especialmente emocionante, quando ele conta em detalhes os bastidores dos jogos da seleção nas Olimpíadas da Grécia.

Assim que chegou ao vestiário e antes mesmo de se preparar para o aquecimento, Giovane escreveu uma mensagem: ‘Ninguém treinou tanto, ninguém merece mais que nós… e certamente ninguém acordou mais cedo.’ Aquelas palavras tocaram toda a equipe, recordando-nos de toda a dedicação ao processo de preparação. Verdadeiras em sua essência e contagiantes em seu propósito, vinham do nosso cocapitão, atleta exemplar, um autêntico líder.”

O resultado disso tudo?! Clica ai e duvido que você não se arrepie!