Fazer o que gosta não significa fazer o que gosta o tempo todo

Comportamento

Decidir encarar uma mudança e se dedicar àquilo que a gente mais ama fazer pode trazer uma falsa ilusão que todos os dias serão lindos e maravilhosos, com sorriso no rosto e motivação a mil. Ledo engano…. Pra ser muito honesta, nunca imaginei que seria assim, mas acho importante compartilhar esse sentimento para que você – que talvez hoje tenha acordado com aquela nuvenzinha cinza em cima da cabeça – possa perceber que não é a única nesse barco.

Empreender e decidir focar suas energias em criar e desenvolver um trabalho que você ama é como um namoro. Uma relação que precisa ser regada todos os dias, onde existirão momentos lindos e apaixonados mas que também tem aquele dia que você precisa de um tempo só pra você… Isso não significa que está tudo errado ou que aquele amor não vale mais nada… apenas um tempo, apenas uma respirada…

Para fazer o que gosta é preciso muitas vezes dar passos que nem sempre serão agradáveis. Isso vai desde encarar aquela planilha financeira que você morre de preguiça, resolver aquela pendência que há dias está parada na sua caixa de email, ter aquela conversa meio chata com aquele seu funcionário. A questão é que, às vezes, essas situações se acumulam e podem nos dar a falsa impressão que está tudo errado e começamos a questionar nossas escolhas… e pequenas questões tomam uma proporção tal que te tira do eixo e embaça sua visão maior, seu objetivo, seu propósito.

Tenho lidado com essas situações de uma maneira muito simples: buscando encarar aquilo que não posso adiar e analisando como melhorar as questões que me incomodam. Ou seja, não é só porque seu caso de amor com a sua empresa não está às mil maravilhas que você vai pedir o divórcio… mas, quem sabe, está na hora de “vocês” discutirem a relação.

Nessas horas, sempre escolho conversar com quem me traz conforto – entendendo que conforto não é aceitar tudo o que eu digo, mas sim escutar com paciência e fazer ponderações construtivas. Compartilhar esses sentimentos faz bem, colocar pra fora e escutar seus próprios argumentos e dilemas ajuda muito a organizar os pensamentos. Vale o companheiro, aquela amiga que você admira, uma pessoa que você tenha como mentora… não guarde as angústias só pra você.

Além disso, permita-se colocar pra fora seus sentimentos. Chorar embaixo do chuveiro, se desconectar de tudo por algumas horas, sair pra dar uma corrida com a música no volume máximo.

No final das contas tudo se resolve. Cabe a nós termos a maturidade para entender que faz parte do processo, que não somos obrigadas a estar totalmente e loucamente felizes todos os dias. Os dias nublados acontecem com todo mundo e precisam ser encarados de frente, pois eles nos mostram onde precisamos nos ajustar para seguir nosso caminho de maneira plena e consistente.